Livro de Visitas

Filho do Ultramar

João Avelino Gregorio de Brito | 12-10-2015

Enormes saudações camaradas. Pelo vosso esforço, dedicação e enorme espírito de camaradagem, vos escrevo estas palavras em agradecimento, pois sem todos vós, não só os da 37ª CC mas de todos os que serviram no Ultramar, eu não estaria aqui. Sou filho de alguem que serviu convosco.
O meu muito sincero obrigado pelo vosso esforço a que foram obrigados na vossa época.
Um grande OBRIGADO a todos vocês e aos que lá ficaram, pela minha simples existência.

Rectificação

José Martins | 31-05-2015

Como é evidente, a hora de saída para a marcha não poderia ter sido anterior ao regresso ao C.I.C.
Eram 18H 45, e o seu final, aproximadamente 24 Km depois, foi às 21H 45.
As minhas desculpas.
Mama Suma
J.Martins

Prova de água

José Martins | 31-05-2015

Diário de um instruendo (parte ll).
Belo Horizonte, 6a.feira 18 de Fevereiro de 1972

Outra vez na Funda, para mais um dia de instrução. Hoje estou admirado: durante a manhã, apenas se montou emboscada à picada. À tarde, após revista aos sacos-mochila e obrigatoriedade de esvaziamento de toda a água contida nos cantis de cada instruendo, comandei, como exercício, um golpe de mão.
Pelas 18 horas regressámos ao C.I.C.
Ordenaram-nos que deixássemos os sacos-mochila e enchessemos os cantis, coisa impossível, uma vez que das torneiras, previamente fechadas, apenas corria uma ou outra preguiçosa gota de água.
Desconfiado, troquei as botas por umas de lona.
Às 16H15 partimos rumo ao Grafanil, dando-se início a mais uma marcha forçada.
Percorremos, pela parte exterior, a arenosa picada de reconhecimento à cerca de protecção de Luanda.
A marcha concluiu-se pelas 21H 15, no controlo da estrada da Barra do Quanza, próximo ao Morro dos Veados.
Transportados em viaturas, deslocaram-nos até Águas Belas.
Aqui, recebemos água, uma ração de vinho branco, vertido no sujo copo do cantil, e uma esplêndida sandes, formada por meio casqueiro recheado de atum de lata.
À meia-noite, após novos elementos do corpo de instrução terem rendido os anteriores, iniciámos a descida da encosta em direcção ao Atlântico. Começou a "Prova de Água".
(Segue...caso queiram!)

J. Martins (36a. Ccmds)


23. curso de Comandos

José Martins | 25-05-2015

Um dia, no decurso da instrução, "passearam-nos" até Freitas Mornas (Ambriz). Aí, fomos excelentes intérpretes da estonteante "semana maluca":
Jantar ao alvorecer e pequeno almoço à hora de jantar, que é coisa a que ainda hoje me não habituei.
Recordo-me de que na carreira de tiro, no breve instante do acende-apaga dos faróis de dois Unimog 404, ter "metido" as minhas 20 munições no alvo do camarada à minha esquerda. Desta situação resultou ser ele um atirador à 007, e eu um perfeito inapto para a guerra subversiva.
Chegou, enfim, a hora de terem tido pena de nós: Concederam-nos um dia de folga.
Visitámos o Ambriz como bons turistas. Caramba, foi dia grande! Banhoca no Atlântico, como as pessoas (e não em uniforme de combate) e, eu e o Reis, frangalhada à fartazana, como se não existisse amanhã, num restaurante próximo ao monumento "piramidal" do Ambriz. Era o dia 17 de Janeiro de 1972 e para quem duvida,... posso mandar fotografia!
Mama Suma
ex fur.mil. MARTINS (36.ccmds. )

Re:23. curso de Comandos

ex. furriel milic. Abalada Reis | 03-06-2015

Pois meu amigo Martins, podes provar com fotos que fomos no frango e eu também tenho algumas.
Tenho uma fotos na praia até em cuecas.
Agora dia 12 de junho vamos para as enguias e sem tanta pressão.

Até lá Mama Suma.

Fur. Abalada Reis

já mais vos esqueserei amigos

jose rui silva filho do SILVA GRANDE | 15-02-2015

assim que possível desponiblisarei o espolio de fotos do meu falecido pai Gabriel ou Silva Grande como é por vós conhecido

Re:já mais vos esqueserei amigos

Francisco Luz | 20-02-2015

Amigo José Rui Silva, sabes que entre nós existem laços que jamais serão quebrados. Tu assim como toda a tua família fazem parte de um todo sobre o qual a 37ªCCMDS, possui a maior consideração e estima. Desde muito novinho, caminhas-te pela mão de teu falecido pai, nos nossos encontros convívios, e se bem me recordo, muitas foram as tuas presenças entre nós, razão pela qual te dirijo um pedido de modo a que sempre que possas, digas sim, sabendo que esse seria o desejo de teu querido pai. Da minha parte recebe um forte abraço, na esperança de que em breve estejas entre nós para festejar mais um aniversário da formação da 37ª C.Comandos. Sobre o espólio fotográfico do teu falecido pai, se entenderes que parte dele seja entregue para ser integrado no site da Companhia, terás o nosso total apoio. Mais uma vez um grande abraço, felicidades.

Sou do curso da 36 e 37 CMDS.

Furriel Milº Francisco Abalada Reis | 21-03-2014

Gostei do que está feito, no site e relembrei nomes e feições todos nas fotos da altura, nas de agora estão muito diferentes.
Um abraço para todos um destes dias também irei participar, com fotos e numa confraternização também.

Re:Sou do curso da 36 e 37 CMDS.

Francisco Luz | 21-03-2014

Muito obrigado pela tua visita ao site da 37ªCCMDS, este é o local para a troca de ideias, debates e propostas, para que possamos ir melhorando este nosso recanto de memórias passadas e presentes, com todos os que abertamente nos visitam, e sintam algo de identificação quer pelo seu passado como jovens militares ao serviço da "Pátria",ou porque reconhecem o nosso empenho em tornar vivo esse período da nossa história, através dos diversos depoimentos, fundamentalmente enquadrados em torno do universo dos "Comandos". Pelo que dizes fiquei sem saber se pertences-te a alguma das duas companhias, mas de uma coisa estou certo, connosco fizeste no mínimo parte desse 23º Curso de Comandos. No site da companhia no subcapítulo "Contacte-nos", tens acesso aos nossos contactos, podes ligar para qualquer um, ou diretamente para mim, visto neste momento ser o elemento diretamente responsável pelo "Site". Um grande abraço

Sou do curso da 36 e 37 CMDS.

Furriel Milº Francisco Abalada Reis | 22-03-2014

Já lá vão muitos anos, mas eu lembro-me de muito bem de ti, até me fizeste uma tatuagem no braço, fiquei no centro também a dar instrução depois fui ter com a 37ª companhia ao Luso,fizemos a siroco e várias outras saídas, Lutembo e mais tarde em Mavinga, tive umas febres, por causa de aguas e acabei por ser evacuado, em finais de 1973.
Também vim de Cavalaria em Santarém, estive lá com o tenente Capão.
O furriel "comando" Martins de Tomar também esteve comigo.
O alferes Aguiar era da minha terra, acho que até éramos de famílias comuns.
Um destes dias, vou arranjar um pouco de tempo e envio-te algumas fotos.
Já te tinha procurado no faceboock, pois nunca esqueci do teu nome completo e até percebi que também ainda estas em atividade profissional como eu.
Um grande abraço para ti e todos os camaradas.



1 | 2 | 3 | 4 >>

Novo comentário